Acessibilidade A- A+
PREFEITURA MUNICIPAL DE INDAIAL/SC
Facebook Twitter Youtube

OUVIDORIA

ORIGEM DO NOME


A única certeza que se tem acerca do nome é que surgiu em virtude da grande quantidade de palmeiras indayá existentes na região da cidade. O nome Indayal, originalmente, era escrito com "y", por ser derivado do vocábulo indígena indayá, que significa palmeira. Como indayá é de origem Tupinambá e originalmente também era escrito com "y", o nome do município também herdou essa característica.

Contudo, devido às alterações ocorridas na Língua Portuguesa em 1931(a partir de 1911, em Portugal, e de 1931, no Brasil, quando se adotou uma ortografia simplificada, na base das propostas de Gonçalves Viana em seu livro A Ortografia Nacional, e é ela que tem vigorado nos dois países até hoje, com modificações de detalhes. Nessa ocasião o "y" foi substituído pelo "i". ), passou-se a escrever com "i", indaiá e Indaial.

A palmeira indaiá tem ciclo de crescimento lento, vive em sociedades compactas e possui porte baixo. Sua classificação científica é a seguinte: Reino Plantae, Divisão Magnoliophya, Classe Liliopsida, Ordem Arecales, Família Arecaceae, Gênero Atallea, Espécie A. dubia. Tem como nomenclatura binomial Atallea dubia. A folhagem do Indaiá foi muito utilizada para cobrir telhados, iniciando aí um dos processos da rápida extinção. A primeira residência do imigrante era o galpão do colonizador; depois, já instalado em seu lote, até conseguir recursos para construir sua casa enxaimel, vivia numa casa simples, praticamente um rancho, uma cabana rústica feita de bambu, madeira, galhos de árvores, coberta de palha e folhas de palmeiras.

Quanto às narrativas que justificam à origem do nome, deve-se dar alento à assertiva que afirma que toda história tem dois lados, cada lado possui sua versão, e cada versão defende a sua verdade, pois tem-se pelo menos duas versões que justificam o nome.

A primeira teoria diz que o nome surgiu devido a existência de uma imponente palmeira indaiá na primeira casa construída em Indaial, pelo Sr. Schadrack, nas cercanias da margem direita do ribeirão das Areias. Essa casa, nos primórdios da colonização, havia hospedado um inspetor da colônia, em visita ao local, que, maravilhado com o tamanho e beleza da palmeira, começou a chamar o povoado de Indayal.

A outra sugere a existência de um pasto, nas proximidades do Curtume Jacobsen, onde as palmeiras Indaiá haviam sido preservadas para oferecer sombra aos tropeiros que alugavam o pasto para descanso. O caminho era parada obrigatória de quem vinha de Lages ou Curitibanos, com destino ao litoral. Como referência, entre si, os tropeiros designavam o lugar, onde havia um rancho para dormir e preparar comida quente, como pasto do indayal.

Pela Lei Provincial n° 1.116, de 4 de setembro de 1886, Indaial teve elevada sua categoria à distrito de Blumenau. O território do distrito iniciava em Indaial e terminava em Rio do Sul. Nesse tempo a classificação dos municípios era diferente. Devido à imensa extensão territorial brasileira, havia lugares não desbravados, e os municípios existentes tinham um tamanho monstruoso. Para se ter uma ideia, em 1856, todo o estado de Santa Catarina tinha apenas seis municípios: a Capital Desterro, São Miguel, São José, Lages, Laguna, São Francisco e Porto Belo (à qual Blumenau e Indaial pertenciam).

Para melhor entender os atos governamentais da época, deve-se ter em mente alguns conceitos. Município é todo o território geográfico em conjunto com a população que nele vive, formando uma circunscrição administrativa independente dentro do estado. Cidade é a sede do município, o centro nervoso e comercial. Entende-se por povoado o local habitado por um certo número de famílias, formando uma aglomeração. Antigamente os povoados seriam como os bairros são hoje, entretanto bem menores. Assim, tem-se que a cidade de Blumenau era o centro administrativo do município de Blumenau (Stadtplatz), que possuía vários povoados, como Encano, Warnow, Indaial, Aquidabã (Apiúna), Carijós, Ascurra, entre outros. Como era muito grande, para facilitar a administração, até ser criado um novo município, vários povoados geograficamente próximos formavam o distrito, que tinha como sede o mais centralizado e desenvolvido. A partir dessa data todo o distrito levava o nome do povoado sede.

Quando um distrito é transformado em município, a sede do distrito, que era apenas um povoado, passa a denominar-se Vila, para logo em seguida ser considerada cidade. Os outros povoados ou continuam como simples povoados ou tornam-se sedes de distrito, e assim por diante. Tudo isso era feito através de leis provinciais ou decretos-lei. O povoado de Indaial, depois vila de Indaial, e, por fim, cidade de Indaial. O nome designado é sempre o daquele que é elevado a uma categoria superior. Por essa razão, hoje Indaial não se chama Carijós ou Encano.

Fonte: Obra Indayal - da Colonização à Emancipação, do autor Anderson Luz dos Santos (Batata).



PREFEITURA MUNICIPAL DE INDAIAL / SC - Av. Getúlio Vargas, n° 126 - Centro - CEP 89130-000 - (47) 3317-8800 - CNPJ 83.102.798/0001-00